ESTUPRO DE MULHERES NA GUERRA DA SÍRIA. PORQUÊ O MUNDO NÃO AS SOCORRE?

É noite outra vez na Síria. Mas com ela, para as mulheres, não vem o silêncio, o descanso ou a paz. Só a dor e a tristeza. Esta noite, uma vez mais, varias mulheres serão violentadas. Há mais de seis anos, desde 2011, as mulheres Sírias vivem um pesadelo sem fim. São sistematicamente estupradas e agredidas. Sofrem em silêncio, sem ter com quem e para quem contar, uma violência pavorosa na carne e na mente. São marcas que o tempo não apaga. Junto com elas, sofrem as suas crianças, por vezes também vítimas de violência de toda sorte. Não tem limites a maldade humana. Não tem limites a impunidade imposta por um desgoverno, que a tudo assiste sem conseguir reverter um quadro que já dura longos seis anos e que não tem no horizonte, uma certeza que está próximo de findar-se. Fugir é difícil, quase impossível. Cercadas por todos os lados, as mulheres são as vítimas mais atingidas pela tragédia da guerra. E pior. Na sua grande maioria, não denunciam os crimes e abusos, pois correm o risco da discriminação, da retaliação e ainda, do abandono por seus maridos e familiares. Nos campos de refugiados, que poderiam ser um abrigo, as notícias que chegam é que acabam muita vezes, sendo palco de mais violência e barbárie contra elas. O que se vê é uma sociedade patriarcal, arcaica e machista, que enxerga na mulher apenas a responsável pela procriação e pelos afazeres domésticos, elas são usadas até mesmo como escudo humano durante sangrentas e injustificadas batalhas. Estima-se, seguindo cálculos da ONU que mais de dez mil mulheres já tenham sido violentadas durante estes anos da guerra. Um número que pode ser bem maior diante da subnotificação dos casos de abuso. E o mais triste e revoltante é que, sem vontade política e social e sem contar com É repugnante, mas é a verdade nua e crua de uma era que precisa acabar. Não dá mais para o mundo contemplar a violência e o assassinato criminoso de mulheres e crianças numa guerra insana sem nada fazer. Neste cenário, sabendo de tudo que lá acontece, resta ao mundo que se diz civilizado, buscar com urgência alternativas para acabar com o conflito na Síria e salvar as mulheres e crianças de um futuro aterrador. A violência é inaceitável. A violência sexual de mulheres e crianças em situação de tamanha fragilidade é ainda mais cruel e escancara a face mais negra do ser humano , deixando claro o quanto os animais são diferentes de boa parte de nós. São muito melhores!